Memória Poética: Gabi

Coletivo Estopô Balaio | 02 de Outubro de 2015

O Ateliê de Teatro, desenvolvido por Juão Nin e Adrielle Rezende, no Coletivo Estopô Balaio, promoveu uma oficina no Senac Santana, em São Paulo, intitulada "Memória Poética". A proposta era que cada participante levasse para a oficina um postal poético sobre a própria memória com a seguinte pergunta:

"Qual parte do meu corpo também é memória?"

Alguns deles, publicamos aqui no nosso diário. Este é o da Gabriela Lima, aluna do Ateliê de Teatro:

Tenho três furos no nariz. 

O terceiro fui quem fiz. Eu não via a hora,

De ser uma criança cheia de catapora.

Os meus coleguinhas tinham medo,

Não queriam ficar imunes tão cedo.

Olhava no espelho e não acreditava,

de tanta pinta vermelha que brotava.

Às vezes, dava agonia. Não é para coçar, minha mãe dizia.

A angústia só aumentava, só coçando que aliviava.

Teve um dia que não aguentei,

Nasceu uma no meio do nariz e eu cocei.

Ah, como deu prazer,

Foi a cicatriz que eu mais gostei de fazer.

Até hoje, ela tá marcada. 

Querendo se aparecer,

mas por ninguém é notada.

Comente