A Cidade dos Rios Invisíveis

A CIDADE DOS RIOS INVISÍVEIS é o terceiro e maior espetáculo realizado pelo Coletivo Estopô Balaio na residência artística no bairro do Jardim Romano, extremo leste paulistano. Ele finaliza a Trilogia das Águas (três espetáculos), iniciada em 2012, a partir das histórias de enchentes e alagamentos vividas pelos moradores do bairro.

A viagem de trem é uma áudiotour com aparelhos disponibilizados pela produção. No áudio elaborado pelo grupo, são contadas as histórias dos bairros cortados pela Linha 12 – Safira da CPTM (Companhia de Trens de São Paulo) de forma poética e sensível. Depoimentos, músicas, poesias se misturam na experiência sonora e o trem, assim como a cidade, vira personagem do espetáculo.

São Paulo, aliás, em suas contradições e seu lado invisível (tudo aquilo que não é Centro, mas periférico) está fortemente presente em “A cidade dos rios invisíveis”. O que não é visto, é mostrado aqui e pessoas que nunca pisaram no bairro do Jardim Romano (invisível) vivem a experiência daquelas ruas junto com os artistas.

As histórias das águas que invadem casas, adoecem, matam são novamente contadas, mas desta vez in loco, pelas ruas do bairro. Além das histórias das enchentes, o espetáculo incorpora diversos do bairro e linguagem. Poesia, dança de rua, rap, grafite são apresentados por artistas convidados.

“A cidade dos rios invisíveis” é inspirado no livro “As cidades invisíveis”, de Italo Calvino.

Ficha Técnica