Nos Trilhos Abertos: Deriva no entorno da estação José Bonifácio (Linha Coral)

Amanda Preisig | 21 de Novembro de 2016

Coletivo Estopô Balaio está em processo de seu novo projeto Nos Trilhos Abertos de um Leste Migrante. Um dos exercícios realizados pelos atores são as derivas nos entornos das estações das linhas de trem que partem do Brás. A atriz Amanda Preisig derivou pela estação José Bonifacio, da linha Coral da CPTM. Este é o seu texto:

A linha do trem cruza perigosamente o mar de Regente Feijó, inconsequente aos perigos que trazem os lugares longínquos às capitanias.
Do lado direito, enormes monstros verticais coloridos. Hidras urbanas: A cada árvore cortada, três estruturas se levantam. Engolem dezenas de famílias inteiras. Dezenas de andares com dezenas de pessoas por andar. A hidras se multiplicam incessantemente, protegidas por muros e gradios.
Do lado esquerdo, os refúgios das pessoas que não se aproximaram das Hidras. Apenas os refúgios, sem pessoas. Um bairro de ausência.
Entre tantos refúgios, barcos-casa sem reboco, ergue-se uma feiticeira de negro e dourado. Ela cuida das Hidras à distância.
Nesse ínterim, a praça é uma pequena ilha à deriva que me serve de refugo.
Tantos sapatos abandonados na ilha.
Quantos precisaram se abrigar lá?
Quantos precisaram fugir?

 

Comente