Ferraz de Vasconcelos é a saudade que fica

Ana Carolina Marinho Dantas | 18 de Agosto de 2016

Ferraz de Vasconcelos tem sido um território onde os encontros brotam com muita leveza e encanto. Passamos um mês na estação de Ferraz de Vasconcelos e agora partiremos para a estação Itaquaquecetuba. Muitos universos foram compartilhados. Todos os dias de escritas de cartas eram tantas histórias que nos atravessaram. Muitas lágrimas, sorrisos largos, esperança, alegria. Já estamos com saudade. 

Ela decidiu parar. Ficou de soslaio observando. Me confessou uma dureza: há tanto tempo se sente invisível que só parou porque foi a primeira vez que alguém olhava pra ela e sorria. É que o tempo a acostumou a sentir vergonha da ausência de seus dentes. Ou ela não sorri ou esconde a boca atrás dos dedos. Mas hoje ela gargalhou e foi lindo.

Ele não vê a família há 45 anos, esqueceu de muita coisa só não do seu endereço de quando morava em Pernambuco. Pois bem, foi com essa faísca de memória que incendiamos a saudade!

Ela aos 75 anos ainda é líder comunitária, sempre teve esse espírito de liderança. Hoje, decidiu escrever uma carta para realizar o sonho de uma amiga que mora na rua: conseguir um lar, mas não é pra ela não, é para os mais de 20 cachorros que ela cuida.

Cada um abriga um universo de esperança. E hoje as palavras fizeram-se presença e nó na garganta. A escrita alimenta um estado de comunhão. Cada um, a seu modo, compartilhava conosco um sonho e nós ali tentávamos engordar as frases com afeto.

Estação de Itaquaquecetuba: das 10h às 13h nos dias 25.08, 01.09, 08.09, 15.09.

 

 

Galeria

Comente