Ateliê de Corpo - Reflexões de uma aluna

Sandra Cardoso | 19 de Maio de 2015

A aluna do Ateliê de Corpo, Sandra Cardoso, fez uma reflexão de uma das oficinas:

 

Tentando relembrar a aula passada, fiz um registro. Segue:

Registro de Aula, Ateliê do Corpo, terça-feira, 12 de maio de 2015.

Começamos comentando sobre como andam as observações dos corpos das pessoas, exercício proposta na aula anterior. Diniz disse que observou as pessoas no local de trabalho, um supermercado, viu que muitos homens andam com a bunda empinada e ao comentar a questão da postura correta com um colega de trabalho, o amigo disse que isso era “ de burguês”. Diniz contou que tinha um manual no trabalho sobre a forma correta de carregar coisas e que compartilharia na próxima aula.

Edson lembrou sobre a forma que carregamos as coisas, que a estrutura das costas é de extensão e do abdômen de flexão, mas geralmente usamos o corpo de forma contraria. Adrielle disse já ter observado que não dobra os joelhos ao carregar coisas e que muitas vezes sua mãe até chama a atenção dela sobre isso.Amanda comentou que reparou bastante os bebês e observou como eles faziam alguns movimentos que fizemos em aula. Sobre bebês, Edson levantou uma discussão sobre o uso de andadores e “cangurus para carregar crianças”.

Começamos a aula falando dos pés, os arcos longitudinal e transverso. Massageamos todos os espaços entre os dedos. Falou-se sobre os tipos de pisadas e o pé chato, observei que tenho pouca curvatura no pé. Lembrei dos exercícios de balé que realizei há mais de 4 anos atrás numa oficina de dança, curso de extensão da Anhembi Morumbi, me dei conta de que do tempo que parei de fazer os exercícios pra cá, minha pisada piorou. Nesse curso foi o único lugar que havia ouvido falar desses tais arcos, lá, citavam muito a referencia de Madame de Béziers.

Tensionamos o pé e passamos a fazer uma massagem com as direções do osso: coxofemoral pra fora e tíbia pra dentro. Tive dificuldade em tensionar o pé da maneira correta, vou até grifar essa parte pois é algo que pretendo ficar mais atenta nas próximas aula. Depois fizemos um alongamento no chão parecido com o que realizamos semana passada mas com novas formas de levantar.

Fizemos uns exercícios de braço e mãos que não saberia descrever, mas me interessou bastante.

Fizemos um aquecimento com a bola, tínhamos que falar o nome de uma pessoa e jogar a bola, como um passe de handebol. Depois foi colocado ritmo de palmas (não sei se baião, coco, maracatu ou algum outro ritmo popular) e continuamos a brincadeira com a bola ao mesmo tempo. Achei incrível misturar jogo de quadra com ritmo brasileiro, lembrei de tantas crianças brincando na rua, imaginei como seria lindo se tivéssemos mais brincadeiras assim na rua, aberta, com o povo todo.

Depois fizemos um exercício com bastão, primeiro tínhamos que jogar o bastão para um colega, depois , ainda com o bastão, a proposta tornou-se conduzir uma pessoa com ele, na primeira vez com olhos abertos, na segunda vez de olhos fechados e com música ao vivo.
No final, Amanda nos deu uma demonstração da Dança que ela pratica, achei lindíssima a parte que usou as mãos, não me recordo o estilo de dança.

Comente